Nenhum comentário

Bovespa opera em alta, com avanço de 29% no lucro das empresas no 3º trimestre

Foto: iStock

O setor bancário registrou o maior lucro acumulado no terceiro tri, com o total de R$ 14,8 bi, o que representa um avanço de 10,5% frente a 2016. Índice da Bovespa avança nesta quinta-feira, com 1,28%, aos 71.731 pontos.Nesta quinta-feira (16) pós-feriado, o Índice da Bovespa (Ibovespa) opera em alta de 1,28%, aos 71.731 pontos, apoiado em ações de empresas vinculadas a commodities . Apesar da melhora, os investidores permanecem cautelosos nas aplicações, devido ao cenário político nacional e aos próximos passos do governo na agenda de reformas.

Por volta das 11h29, as ações preferenciais (PN) da Petrobras estavam entre as mais negociadas na Bovespa , com avanço de 1,89%, assim como as ordinárias de nível 1 (ON N1) da Vale, que subiam 0,53%. Em contrapartida, as ações preferenciais de nível 1 (PN N1) da Cemig estavam entre as baixas do pregão.

Lucro das empresas

De acordo com um levantamento elaborado pela Economatica, divulgado nesta quinta-feira (16), o lucro das empresas listadas na bolsa paulista apresentou crescimento de 29% no terceiro trimestre deste ano, frente ao mesmo período de 2016. As 229 empresas, com exceção da Vale S.A., Petrobras, Ambev, Oi, PDG, Dommo e Transmissão Paulista, tiveram lucro acumulado de R$ 32,3 bilhões, ante aos R$ 25 bilhões do ano passado.

O setor bancário registrou o maior lucro acumulado no terceiro trimestre deste ano, com R$ 14,8 bilhões, o que representa um avanço de 10,5% em relação ao ano passado. O segundo setor mais lucrativo foi o de energia elétrica, que obteve queda de 3,8% se comparado aos períodos de 2016 e 2017, uma vez que o lucro passou de R$ 2,81 bilhões para R$ 2,7 bilhões.

A pesquisa evidenciou prejuízo em dois setores no período de avaliação: o de construção, com 21 empresas, apresentou desvantagem de R$ 381 milhões e o de comércio, com R$ 337,5 milhões. Dos 25 setores analisados, cinco tiveram queda de lucratividade.

O setor de c omércio, com 18 empresas foi o com maior redução no lucro, com R$ 304 milhões. Vale mencionar que no terceiro trimestre do ano passado, o setor foi prejudicado em R$ 33,5 milhões.

Levando em consideração as sete empresas excluídas no levantamento, as 306 empresas da B3 detiveram lucro de R$ 14,9 bilhões no terceiro bimestre do ano passado, contra R$ 38 bilhões do mesmo período deste ano. O resultado evidencia um crescimento de 154,5%, ou de R$ 23,1 bilhões.

Ganhos e prejuízos

Bancos, energia elétrica, seguradora e corretora de seguros, química, telecomunicações, água, esgoto e outros sistemas, papel e celulose, softwares e dados, alimentos e bebidas e transporte e serviços são os 10 setores que mais lucraram no período. Já a Vale S.A. é destacada como a empresa com o maior lucro líquido no terceiro trimestre de 2017, com R$ 7,14 bilhões, alta de R$ 5,3 bilhões frente ao mesmo período de 2016, quando registrou R$ 1,84 bilhões. O Itaú Unibanco aparece em seguida, com R$ 6,07 bilhões.

Entre o ranking das 10 empresas que mais lucraram no terceiro trimestre do ano estão: Vale com R$ 7.142.986; Itaú Unibanco, com R$ 6.076.731; Bradesco, com R$ 2.883.987; Brasil, com R$ 2.840.844; Santander BR, com R$ 1.794.672; Telef Brasil, com R$ 1.222.716; BBSeguridades, com R$ 1.192.219; Cielo, com R$ 1.017.132; Sabesp, com R$ 900.525 e Braskem, com R$ 799.370.

No que se diz respeito às empresas listadas na Bovespa que obtiveram prejuízos , a Dommo está no topo da lista, com R$ 1,79 bilhões. O setor de construção também foi impactado negativamente, tendo sete empresas na lista das 20 mais prejudicadas no período, assim como o setor de energia elétrica, com quatro empresas no ranking.

Fonte: Economia – iG

Brasil Econômico

 

Comments (0)